Square news

Bruno Soares volta a jogar com Jamie Murray em 2021

por Renata |

Após pouco mais de um ano e a conquista do US Open com o croata Mate Pavic, Bruno Soares terá outro parceiro em 2021. O mineiro voltará a ter Jamie Murray, seu parceiro entre as temporadas de 2016 e 2019, ao seu lado no ano que vem.

“O Jamie ficou sabendo que a minha parceria com o Pavic havia terminado e pouco tempo depois recebi uma mensagem dele, avisando o interesse em retomar a parceria”, disse o mineiro. Ao lado de Murray, Bruno conquistou dois títulos de Grand Slam, o Australian Open e o US Open, ambos em 2016. A dupla terminou aquela mesma temporada no topo do ranking de times. No total, foram 10 títulos conquistados pela parceria mais bem-sucedida da carreira de Soares.

A parceria com o croata Mate Pavic, que se iniciou na temporada de grama de 2019, rendeu os títulos no US Open deste ano e no Masters 1000 de Xangai, no ano passado, além de finais em Roland Garros, Masters 1000 de Paris e ATP 250 de Estocolmo. A decisão de Pavic em terminar a parceria, porém, pegou Bruno de surpresa: “Tivemos uma conversa depois da final do Masters 1000 de Paris. O Mate expôs que tinha outros planos e que não queria continuar a parceria. Não concordo com nada do que ele expôs, nós estávamos indo muito bem, ainda mais com o título no US Open e a final em Roland Garros, mas vida que segue. Realmente fui pego de surpresa.”

Apesar da situação, Soares e Pavic continuam vivos no Finals e em busca de uma vaga na semifinal. O time enfrentará Peers/Venus nesta sexta-feira, às 9h, horário de Brasília, para garantir a classificação. “Mas vou pensar em 2021 depois. Agora estou focado no Finals e no número 1”, finalizou o mineiro, pensando nos objetivos finais do ano. Além de um título inédito na carreira, o mineiro e o croata podem terminar o torneio como a dupla número 1 do ano.



SOBRE BRUNO SOARES - Mineiro nascido em 27/02/1982, Bruno Soares é um dos principais nomes da história do Brasil. Ao ganhar o US Open nas duplas mistas, em 2012, se juntou ao seleto grupo de campeões de Grand Slam brasileiros, que inclui apenas Maria Esther Bueno, Gustavo Kuerten, Thomaz Koch e Marcelo Melo. Em 2014 repetiu a façanha conquistando o segundo título em Nova York.
Em janeiro de 2016, no Australian Open, conseguiu o feito inédito de vencer o 1o. Grand Slam de duplas, com Jamie Murray e de conquistar também o trofeu nas duplas mistas, com Elena Vesnina, se tornando o primeiro brasileiro desde Maria Esther Bueno, em 1960 a vencer dois títulos no mesmo torneio.
Em setembro de 2016, ganhou o segundo Grand Slam de duplas, no US Open, em NY, se tornando a primeira parceria (com Jamie Murray), a vencer dois Slams no mesmo ano, desde os Irmãos Bryan em 2013.
Quatro anos depois, em 2020, conquista mais uma vez um Grand Slam, o US Open, ao lado de Mate Pavic e disputa sua primeira final de Roland Garros, ficando com o vice-campeonato.
No total, nas duplas Bruno tem 33 títulos no circuito, 32 vice-campeonatos e chegou ao 2o. posto no ranking mundial de duplas em 2016. É o 6o. atualmente. Encerrou a temporada 2016 como a dupla número um do mundo e a 2017, como a número 3. O atual parceiro é o croata Mate Pavic.
O tenista que tem a sua carreira gerenciada pela LinkinFirm, do ex-tenista profissional Marcio Torres, conta atualmente com os patrocínios da BMG, Anga, Aldo Solar, Aliansce Sonae, 1Pure e Wilson.

Diana Gananyi